O dia começa com um pequeno almoço em frente a uma lareira onde se assam os enchidos e aquecem ou enxugam as roupas antes e depois da partida.

O almoço, longo e bem condimentado com tudo o que a região proporciona, é um dos momentos mais importantes do dia.
Ali se faz o ponto da situação, trocam ideias e experiências. A cozinha tem de ser farta pois depois de 4 horas de caminhadas, a fome é normalmente maior do que habitual.

Tendo sido parte do Infantado da Real Portuguesa até meados do Século XIX, a Agolada serviu para inúmeras jornadas de caça e foi um dos sítios preferidos pela Casa Real para a caça do veado e javali.

Tendo desde esses tempos, pertencido sempre à família podemos testemunhar a abundância de caça que durante o século passado fez a delicia de caçadores e observadores da natureza.

As duas barragens eram casa de milhares de patos bravos, reais, marrequinhos, colhereiros, rabejuncos etc. Milhares de coelhos, perdizes e codornizes, povoavam os extensos montados.

As aves de arribação como o pombo bravo e a rola por ali passavam e permaneciam durante a época.

Na Agolada de hoje poderá caçar à perdiz, à codorniz, aos coelhos, patos, pombos e javalis.

Se a caça não for a sua preferência poderá ainda observar estes animais no seu dia a dia. Os patos na barragem, raposas na floresta, milhafres e falcões sobrevoando e peneirando.

Venha com o seu grupo e passe um dia na Agolada à caça às perdizes, faisões, coelhos, lebres e codornizes.

Preço sob consulta.

Contactos e reservas

Luís Sousa: 91 470 68 69
Email: canilmontepicado@net.sapo.pt

Telefone e fax da Herdade: 243 61 70 47
Email: agolada@agolada.pt